A parte interna e posterior do olho é preenchida por uma substância gelatinosa e transparente denominada vítreo, que se encontra em contato com a superfície da retina.

À medida que envelhecemos, o vítreo sofre um processo de liquefação e condensação das suas fibras, que culmina com sua separação da retina. Essa separação é chamada de descolamento do vítreo, também conhecida como descolamento do vítreo posterior (DVP).

Algumas pessoas se queixam do incômodo causado pelo aparecimento de pequenas manchas em seu campo de visão. Essa impressão pode ser causada pelas moscas volantes, que são pequenas condensações do vítreo.

Esse tipo de perturbação pode ser reduzido com movimentos oculares para cima, para baixo e para os lados.

Geralmente, são de pouca importância e fazem parte do processo de envelhecimento. É um fenômeno comum em indivíduos com mais de 60 anos e em pessoas mais jovens míopes.

Na maior parte das vezes, o descolamento do vítreo se processa sem causar alterações na retina. Entretanto, em alguns casos, o vítreo pode puxar a retina excessivamente e causar rasgos (roturas) na retina, que trazem um risco grande de descolamento de retina.

Múltiplas moscas volantes podem ser sinal de rasgo ou ruptura na retina, um fator causador de uma doença grave denominada descolamento de retina. O risco associado às moscas volantes só pode ser verificado por um oftalmologista, através de um exame especializado de Oftalmoscopia Indireta com o estudo da periferia retiniana, e se necessário um especialista em Retina e Vítreo.

E os flashes luminosos?

Quando a gelatina vítrea que preenche o interior do olho traciona a retina, é produzida uma reação semelhante a de flashes luminosos. Essa sensação, pode permanecer por semanas e faz parte do processo de envelhecimento.

Existem ocasiões em que os flashes luminosos podem estar relacionados a um grande número de moscas volantes ou ao escurecimento de uma parte do campo de visão. Nesse caso, podem ser sintomas de ruptura retiniana ou descolamento de retina.

Quando as moscas volantes e flashes de luz aparecerem em grande número ou se aumentarem muito com o passar do tempo, deve procurar um oftalmologista especializado, pois o risco de roturas na retina é de aproximadamente 15% (1 em cada 6 pacientes).

Se durante o exame, o oftalmologista detectar a presença de ruptura retiniana, pode ser indicado o tratamento com laser. Este tratamento no consultório pode prevenir o descolamento de retina, geralmente realizado por um especialista em retina e vítreo.

vitreo

Rotura Retiniana

CMBR
HOBR
DAY
hospital_olhorodape_15
BEIRARIO
GASTROS